André Monteiro
Consultor de Moda e Imagem
Fashion and Image Consultant

55 11 7678 7380 monteiroal@hotmail.com

 
     
 
  Biografia biography
Favoritos favorites
 Closet on line
 Style
 The Sartorialist
 Uol Moda
 Quando estou afim por Michelle Harue
 Espaço Cool


 
   
     
  Indústria da Moda descobre o potencial do mercado Plus Size

 

Esta é a matéria que escrevi para a revista Beleza em Curvas Ano 1 no.1, lançada no mês de junho, na íntegra (as fotos publicadas foram parcialmente modificadas):

Parece que as queixas das mulheres plus size estão com os dias contados. A indústria da moda, que parecia acreditar que todas as mulheres eram magérrimas como as modelos que desfilam nas passarelas, parece ter enxergado que uma parcela considerável da população mundial não se adequa a estes padrões pré-estabelecidos. E mais, esta mulher tem uma legítima preocupação em vestir-se bem, com roupas de modelagens, padronagens e cores bonitas, como qualquer outra.

Para ilustrar esta transformação pela qual a indústria da moda vive no momento, a Vogue Curvy, uma divisão da Vogue Itália, chamou a modelo plus size Angelica Gray, 19 anos, à Milão para fotografá-la para um editorial da publicação. Tara Lynn, outra modelo plus size, foi tema de um ensaio da revista Elle francesa e aparece nua em uma das fotos, quebrando este paradigma da magreza no mundo da moda. Lynn já havia dado o que falar em um ensaio para a revista “V” em janeiro deste ano. A modelo brasileira Flúvia Lacerda, que reside em Nova York e estampa a capa da revista, está fazendo carreira no exterior.

No desfile de sua coleção Chanel Cruise em Saint Tropez, há algumas semanas atrás, Karl Lagerfeld também incluiu uma modelo plus size em seu cast: Crystal Renn. Parece que a indústria decidiu que ser grande é ok, até mesmo por que não é mais possível ignorar este irresistível mercado, em franca expansão. Há alguns anos a americana média vestia 38, hoje veste 44. O mercado plus size de roupas atingiu cifras da ordem de US$ 17 bilhões em vendas no ano passado.

Antigamente só alguns varejistas especializados como Lane Bryant e Marina Rinaldi atendiam às necessidades desta mulher com medidas maiores, hoje designers como Tommy Hilfiger, Donna Karan estão se juntando a nomes como Anne Klein, Ellen Tracy, Dana Buchman e Oscar de la Renta na oferta de uma moda para as plus size, nas lojas de departamento. No Brasil os destaques neste segmento são os varejistas André Apasse, Kauê, Palank, Liolá e Rechonché. As lojas de departamento nacionais recentemente incorporaram às suas grades de numeração o 46 e o 48. Há ainda um grande número de sites que se especializaram neste segmento: no Brasil o Criatura GG, o Clube das Lingeries, o Very Rosy e o Shikimi, só para citar os mais conhecidos.Entre os estrangeiros os destaques vão para o Americano IGIGI com foto da brasileira Flúvia Lacerda na página inicial do site e o britânico Curvety.

 

O próximo passo talvez seja o segmento das adolescentes plus size. Nas lojas da americana Torrid, as numerações a partir do 46 estão vendendo tão bem que 15 novas lojas para atender este público serão abertas só este mês, provando que  ainda há um extenso e lucrativo mercado em potencial a ser explorado.

Em suma, a mulher, independente do seu tamanho, quer se sentir sexy, jovial, contemporânea e acima de tudo valorizada pela roupa que veste.


 




Escrito por - written by André Monteiro às 21h41
[] [envie esta matéria send this article] []



 

Arquivos archives