André Monteiro
Consultor de Moda e Imagem
Fashion and Image Consultant

55 11 7678 7380 monteiroal@hotmail.com

 
     
 
  Biografia biography
Favoritos favorites
 Closet on line
 Style
 The Sartorialist
 Uol Moda
 Quando estou afim por Michelle Harue
 Espaço Cool


 
   
     
  Litoral - Ensaio

 

Este ensaio foi fotografado em 2011, mas só agora estas fotos foram liberadas para divulgação.Talvez ainda sejam publicadas mas vou postá-las, pois é um dos trabalhos de styling do meu portfólio que mais gosto.

Foto: Leandro Ramos

Styling : André Monteiro

Make/cabelo : Tide Martins

Cabeças : Graciela Starling

Modelo : Fernanda Martinez

 

 




Escrito por - written by André Monteiro às 19h50
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Editoriais para Fashionising

 

Em parceria com o fotógrafo Leandro Ramos, fiz o styling e a produção de moda de dois editoriais publicados no site de moda de NY, o Fashionising. O primeiro tem make/cabelo de TIde Martins e o segundo de Douglas Guerra.A assistência de produção é de Guilherme Natan.




Escrito por - written by André Monteiro às 10h49
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Hugo Boss lança sua coleção Primavera/Verão 2012 em Berlim

 

 

Dia 07 de julho, a Hugo Boss lança em Berlin a sua coleção Primavera/Verão 2012, com direito a after show concert. Para quem quiser acompanhar live o desfile, acesse : www.hugoboss.com

A coleção passada trouxe a imagem de um homem sexy, seguro e de visão. As cores foram marcantes e inovadoras. O branco predominou, e deve se manter aliando-se aos tons nudes, pois é a cor da moda do verão europeu atual , porém tem que saber usar pois é uma cor para que exige muita personalidade para usá-la. Na cartela de cores da coleção 2011: rosas, azuis e caquis deram diferentes matizes às peças. O homem da Boss é másculo, saudável, pratica esportes, especialmente os náuticos, e prefere o dia à noite. Nos trajes para noite mantém-se impecável, mas por poucas horas pois parece priorizar o dia, com um estilo de vida menos sedentário. Na campanha passada além dos top masculino Mark Vanderloo, a brasileira Raquel Zimmermann, além de  Heidi Mount, RJ Rogenski and Gerard Salla. A campanha passada foi 
fotografada pelo icônico fotógrafo Mario Sorrenti.

Esperemos que esta coleção traga inovações e mantenha ao mesmo tempo o DNA da marca, pois muita expectativa gira em torno dela.


 




Escrito por - written by André Monteiro às 15h38
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Pedro Lourenço para Riachuelo

 

Fui dar uma conferida na coleção do Pedro Lourenço para a Riachuelo. Deu para notar a visível influência de Reinaldo (Lourenço) e Alexandre (Herchcovitch) na sua coleção. Algumas peças feita com um material tecnógico que parece plástico ou nylon, são para mim as melhores peças. Um short mais comprido, quase bermuda (preto) e uma jaqueta (em preto e prata), Além disso, camisa de alfaiataria bicolor, camisetas com estampas abstratas, camisas e jeans com cortes mais tradicionais. A modelagem é bem slim(ajustada) Ah... tem um tênis com um toque bem moderno também. Os preços são razoáveis, um pouco acima dos exercidos pelas lojas de fast fashion no geral. Algo em torno de R$ 39,90 à R$ 189,90. Li em algum lugar que serão 60 itens; mas não serão todos lançados de uma só vez. Para o Dia dos Namorados, parte da coleção já está nas lojas. Para a ocasião as meninas podem optar pelos looks de Cris Barros que também fechou parceria com a loja de departamento.

 

Fotos : Reproduções




Escrito por - written by André Monteiro às 18h04
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Portfolio

 

Com fotos de Framn Rezende, make de Tassio Foster, com a modelo Chris Cortez, assistência de produção de Guilherme Natan, e produção de moda e styling de André Monteiro (eu mesmo!), as fotos foram tiradas num prédio de arquitetura singular no centro de São Paulo na terça de Carnaval, com um tempo típico paulistano, frio e garoa. O céu nublado, o fotográfo, só com a câmera na mão e com luz natural, clicava o editorial entitulado 'Glamour', que deve ser publicado na revista espanhola Vanitas (revista trimestral) que deve sair agora no final do mês de abril. Vamos torcer!!!

 






Escrito por - written by André Monteiro às 21h11
[] [envie esta matéria send this article] []



     
   

A nova face da Yves-Saint Laurent: Arizona Muse


Nascida em Santa Fe, New Mexico em 18 de setembro de 1990, Muse assinou com a Next Models em 2008. Após aparecer nas edições de primavera da French Revue de Modes fotografada por Thierry Le Goues e em um editorial de beleza na Allure, decide ´dar um tempo´ da carreira de modelo em 2009 para dar a luz a seu filho Nikko. Em 2010 retoma a atividade e logo em seguida fotografa para o catálogo da Urban Outfitters. Em Setembro de 2010 abre e fecha o desfile da Max Azria e desfila também para Marc Jacobs, Hervé Leger, Narciso Rodriguez e Proenza Schouler. No mesmo ano abre e fecha o desfile da Prada em Milão. No mesmo ano é considerada uma das dez maiores revelações pela Models.com. Em outubro abre e fecha os desfiles de primavera da Miu Miu em Paris e abre os desfiles de Rochas e Kenzo .Em novembro do mesmo ano aparece em um editorial da W, fotografada por Paolo Roversi. Se torna o rosto da Prada e posteriormente substitui Darla Werbowy com o rosto da Yves-Saint Laurent. Aparece na capa da Vogue Itália fotografada por Steve Meisel em janeiro deste ano e em seguida aparece nos desfiles de Valentino, Elie Saab e Chanel em Paris. Mais recentemente estampa editoriais na Vogue Chinesa, Francesa, Americana e Britânica.  As características mais marcantes da modelo são suas sobrancelhas, seus olhos e seu cabelo. Adora ler Gabriel Garcia Marquez, ver filmes e brincar com seu filho Nikko.

polaroid arizona muse

 Composite NEXT agency

 

 

 

 Campanha PRADA S/S 11




Escrito por - written by André Monteiro às 18h12
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Dica de moda para os homens - Verão 2011

 

 

Garotos, homens e senhores de espírito jovem: A coleção do Oskar Metsavaht, da Osklen para a Riachuelo está de arrasar! 

Chama-se Rio de Janeiro e tem preços bem acessíveis: Bermudas de sarja R$ 79,90, de tactel R$ 49,90, pólos R$ 49,90, camisetas em tecidos naturais R$ 29,90, camisas R$ 79,90, sungas R$ 49,90. Talvez dentre os itens mais caros estejam as sandálias, com preço acima de R$100.Tem ainda calça saruel em tecidos confortáveis para os mais modernos e até sungas pretas, bem despojadas.

A cartela de cores é meio nude, tons pastéis, azul, branco, preto e cinza, sem grandes arroubos de cores e alguns efeitos degradês. Entre as padronagens destaque para as camisas xadrezes, lindas! 

Super recomendo. O estilo despojado, básico, sportswear e tem todo o DNA da Osklen. Os tecidos são confortáveis e de boa qualidade e o design é bem bacana. Mas corra que as peças vendem rápido... como pãezinhos franceses quentinhos nas padarias!






Escrito por - written by André Monteiro às 14h15
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  A última parte da saga da Lady Dior - Grey - London

 

 

  

Tendo como referência os cinzentos céus de uma das mais interessantes metrópoles do mundo: Londres, e mais uma vez com Marion protagonizando a quarta e última parte da saga Lady Dior, o making of da campanha da Lady Dior Grey é divulgada.

Quem dirige é John Cameron Mitchell que dirigiu 'Hedwig and the angry inch'. Além de Cotillard como Lady Grey, temos Ian McKellen como Lord Sutton e Russel Tovey como Roderick. A fotografia é de Mert Alas e Marcus Piggott e tem como backdrop , o London Eye e uma visão panorâmica das Casas do Parlamento (The Houses of Parliament). Inspirada por John Galliano, a mega produção tem lindos looks como um elegante trenchcoat  chumbo, um lindo vestido prata, e exuberantes acessórios de cabeça, dentre eles uma cartola prata de paetês e plumas. O make traz Cotillard com olhos bem esfumaçados e cabelo à la Elizabeth Hurley. 

A bolsa em couro matelassado faz parte da Cruise Collection e custa a bagatela de US$ 2.830,00. Já deve estar nas principais lojas Dior de todo o mundo. 

 




Escrito por - written by André Monteiro às 22h46
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Implantes de silicone parecem estar com os dias contatos

 

(Esta matéria foi escrita originalmente para o site Closet on line, no qual sou colaborador. A pauta foi sugerida pelas editoras Carla Palmieri e Cecília Lima).

Há várias possíveis utilizações de células tronco para uso médico, Agora a cirurgia cosmética mais popular: o aumento dos seios com uso de silicone, pode estar com os dias contados.

As objeções quanto ao uso de células tronco embrionárias na reconstrução de órgãos e tecidos podem cair por terra se os testes clínicos para uma nova cepa de células tronco derivadas de gordura proveniente de liposucção conseguirem a aprovação da FDA. E caso isto se torne realidade, com certeza a intervenção cirúrgica para aumento dos seios será a mais procurada. O aumento de seios já é a cirurgia plástica mais comum nos EUA, com faturamento anual girando em torno de US$ 1 bilhão em 2009.

A experimentação com órgãos não vitais é mais segura e condicionada a menos limitações e regulamentações. Por exemplo  os testes com órgãos vitais como o coração, por exemplo, é muito mais restrito. Além disso a aprovação do FDA não é necessário para células que são removidas e retornam à mesma pessoa em um único procedimento.

Testes em humanos revelaram que as tais células retiradas do tecido adiposo podem, com sucesso, tratar uma gama imensa de falhas corporais, inclusive melhorar a capacidade aeróbica em pessoas com doenças coronárias, aumentando o fornecimento de sangue e a capacidade de bombear sangue nos sobreviventes de ataques cardíacos e diminuindo a incontinência em sobreviventes de prostatectomia em até 89% Em estudos com ratos, estas mesmas células melhoraram as funções dos rins. Em relação ao aumento dos seios ( e novo crescimento deste órgãos em caso de pacientes recobrando-se de mastectomias, e outros procedimentos relacionados a estes órgãos) tem sido promissores. A partir do momento que os tecidos induzem a formação de veias de sangue, as células regenerativas ligam o suprimento de sangue às células de gordura que ‘viajam’ com elas, apresentando um risco muito menor de reabsorção do que com a injeção de apenas células tronco.

Em 2007, um cirurgião plástico no Japão começou um estudo e relatou que pacientes injetadas com uma solução de gordura proveniente de células tronco tiveram um crescimento de 4 centímetros, em média, em relação a circunferência dos seios. Além disso os tecidos permaneceram macios e naturais.

Se a empresa de biotecnologia com sede em San Diego, a Cytori Therapeutics que desenvolveu o sistema de centrifugação conseguir a aprovação da FDA para testes clínicos, ela poderá  se tornar a pioneira da indústria médica regenerativa, mas antes disso terão que se preocupar em atender o enorme mercado de mulheres querendo trocar as gordurinhas indesejáveis por bustos maiores e mais bem torneados.

 





Escrito por - written by André Monteiro às 16h09
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Trabalho de produção de moda para a L'Officiel

 

Estou muito orgulhoso de ver o meu trabalho estampado nas páginas de uma das revistas de moda mais importantes do Brasil, a L'Officiel.

Com fotos de Daniel Burman, edição de moda de Aldine Paiva, beleza de Max Weber, o editorial de moda Set is Fashion, foi a minha estréia na publicação como produtor de moda.

Ficou lúdico, artístico e muito bonito, módéstia a parte, rs

Confiram algumas das fotos do ensaio publicado na edição de outubro/2010:




Escrito por - written by André Monteiro às 09h13
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Shorts masculinos, vamos ousar?

 

A moda masculina tem demonstrado uma ousadia e sensualidade que só tem parâmetros nos anos 70, quando a silhueta era mais ajustada, curta, e as padronagens eram mais criativas, com muitas estampas e bordados. As camisas eram desabotoadas mostrando o peitoral, com muita confiança e masculinidade. Os acessórios grandes e usados sem economia.

Agora, parece que a tendência é um resgate desta atitude setentista, os shorts encurtaram (e as bermudas também) e mostraram muita personalidade nas coleções de Mario Queiroz, Alexandre Herchcovitch, Osklen, Reserva, Totem e até em marcas consideradas mais comerciais como a Ellus e a TNG, as padronagem aparecem efusivamente e até os bordados fazem um comeback, vide a maravilhosa coleção de João Pimenta nos desfiles da edição primavera/verão 2011.

Nas passarelas internacionais os shorts curtíssimos foram vistos em profusão nos desfiles da Gucci e da D-Squared.

É necessário uma certa dose de ousadia e é claro estar com o corpinho em forma para usá-los mas como diz Lulu Santos em um de seus hits 'Tempos Modernos', vamos viver tudo que há prá viver, vamos nos permitir.

 

Fotos: Reproduções

 


 


 






Escrito por - written by André Monteiro às 14h23
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Trabalho de produção de moda na L'Officiel

 

 

Meu mais recente trabalho publicado me enche de orgulho. Por algumas razões. Fui chamado por ninguém menos do que o Aldine Paiva, editor de moda da L'Officiel, uma das mais prestigiadas revistas de moda do Brasil.Em segundo lugar por se tratar de moda masculina, um segmento em franca expansão no mundo. Contei com a big help from a friend, a Daniela de Pauli para a produção de moda e o styling incrível do próprio Aldine.

Que muitos trabalhos incríveis ainda a serem realizados estejam no meu caminho.





Escrito por - written by André Monteiro às 19h31
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Amizade verdadeira - 'Mary e Max'

 

 

Na última quinta-feira fui assistir a um filme que está em cartaz e que também faz parte do Anima Mundi: ‘Mary e Max – uma amizade diferente’ (Mary and Max) uma animação australiana sobre a amizade entre uma menininha australiana de 8 anos e um solitário judeu de 44 anos que vive em Nova York.

O filme é de uma crueza ao mesmo tempo que sensibiliza e questiona a ‘realidade virtual’ que vivemos. No passado os pen-friends(pessoas que trocavam cartas e que residiam em diferentes partes do mundo) eram os atuais membros de nossa incansáveis e efervecentes redes sociais.

Nunca se encontram mas trocam receitas, impressões, e tem questionamentos às vezes instigantes mas nem sempre convenientes. Algumas perguntas da menina Mary provocam em Max grande ansiedade causada por sua incapacidade de lidar com o novo, seja na forma de um relacionamento de amizade seja na constatação da virgindade aos 44. O chocolate em todas as suas formas sela um pacto de cumplicidade entre os dois. Fotos, comidas e toda as formas de ‘objetos pessoais’ também fazem parte desta relação virtual mas que muda os rumos de suas vidas.

Me emocionei muito com o filme que utiliza uma técnica muito interessante, com massinhas animadas, muito expressivas. A animaçao mexe muito com nossos paradigmas em relação às amizades: elas podem ser atemporais e não passam necessariamente por canais geradores de preconceito como a diferença de idade ou de dificuldade como a distância física. Mas nada supera a relação real entre duas pessoas que se conhecem, se identificam e querem compartilhar da energia insubstituível que se estabelece entre dois amigos verdadeiros.



 

 




Escrito por - written by André Monteiro às 19h14
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Dzi Croquettes, com ambiguidade e androginia romperam os padrões sociais e sexuais de uma época de ditadura militar

 

 

Em plena ditadura militar e na época do AI5, ato institucional que cerceava as liberdades individuais e artísticas da época surge um grupo que sacudia os clichés sexuais e de comportamento de uma era, com espetáculos andróginos num caldeirão de referências das mais diversas: musicais da Broadway aliado à muita brasilidade e às grandes divas da música como Billie Holiday e Elis Regina ; um babel linguístico e corporal. Eram os Dzi Croquettes, grupo composto por talentos ímpares como Lenny Dale, Paulette, Cláudio Tovar, Ciro Barcelos, Bayard Tonelli, entre outros. A fama do grupo se espalhou por grandes centros urbanos como São Paulo, Rio de Janeiro, Paris, Londres e Nova York. Graças à madrinha do grupo que os lançou para o patamar de atração artística internacional, Liza Minelli, atraiu a atenção de grandes nomes da cena artística da época como Mick Jagger, Josephine Baker, Jeanne Moreau, Catherine Deneuve, entre outros. Com depoimentos de estrelas nacionais do porte de Marília Pêra, Ney Matogrosso, Gilberto Gil, Cláudia Raia, Betty Faria, Elke Maravilha, Nelson Motta além da própria Liza Minelli, que no documentário relembram o impacto que a trupe causou em suas vidas. Além disso, alguns integrantes, que sobreviveram ao preconceito e a AIDS: Tovar, Barcelos, Tonelli. Rogério de Poly e Benedicto Lacerda falam em emocionados relatos sobre a trajetória de um 'cometa' que através da ruptura ideológica, transformou a sociedade brasileira. Segundo a máxima de um dos seus integrantes de nome Wagner: ‘Só o amor constrói’

A partir de 16 de julhos nos cinemas Não percam a chance de resgatar a memória de um dos mais revolucionários atos da cena musical e artística brasileira de todos os tempos: os “Dzi Croquettes”! Nem homem nem mulher, gente!

 




Escrito por - written by André Monteiro às 19h03
[] [envie esta matéria send this article] []



     
  Indústria da Moda descobre o potencial do mercado Plus Size

 

Esta é a matéria que escrevi para a revista Beleza em Curvas Ano 1 no.1, lançada no mês de junho, na íntegra (as fotos publicadas foram parcialmente modificadas):

Parece que as queixas das mulheres plus size estão com os dias contados. A indústria da moda, que parecia acreditar que todas as mulheres eram magérrimas como as modelos que desfilam nas passarelas, parece ter enxergado que uma parcela considerável da população mundial não se adequa a estes padrões pré-estabelecidos. E mais, esta mulher tem uma legítima preocupação em vestir-se bem, com roupas de modelagens, padronagens e cores bonitas, como qualquer outra.

Para ilustrar esta transformação pela qual a indústria da moda vive no momento, a Vogue Curvy, uma divisão da Vogue Itália, chamou a modelo plus size Angelica Gray, 19 anos, à Milão para fotografá-la para um editorial da publicação. Tara Lynn, outra modelo plus size, foi tema de um ensaio da revista Elle francesa e aparece nua em uma das fotos, quebrando este paradigma da magreza no mundo da moda. Lynn já havia dado o que falar em um ensaio para a revista “V” em janeiro deste ano. A modelo brasileira Flúvia Lacerda, que reside em Nova York e estampa a capa da revista, está fazendo carreira no exterior.

No desfile de sua coleção Chanel Cruise em Saint Tropez, há algumas semanas atrás, Karl Lagerfeld também incluiu uma modelo plus size em seu cast: Crystal Renn. Parece que a indústria decidiu que ser grande é ok, até mesmo por que não é mais possível ignorar este irresistível mercado, em franca expansão. Há alguns anos a americana média vestia 38, hoje veste 44. O mercado plus size de roupas atingiu cifras da ordem de US$ 17 bilhões em vendas no ano passado.

Antigamente só alguns varejistas especializados como Lane Bryant e Marina Rinaldi atendiam às necessidades desta mulher com medidas maiores, hoje designers como Tommy Hilfiger, Donna Karan estão se juntando a nomes como Anne Klein, Ellen Tracy, Dana Buchman e Oscar de la Renta na oferta de uma moda para as plus size, nas lojas de departamento. No Brasil os destaques neste segmento são os varejistas André Apasse, Kauê, Palank, Liolá e Rechonché. As lojas de departamento nacionais recentemente incorporaram às suas grades de numeração o 46 e o 48. Há ainda um grande número de sites que se especializaram neste segmento: no Brasil o Criatura GG, o Clube das Lingeries, o Very Rosy e o Shikimi, só para citar os mais conhecidos.Entre os estrangeiros os destaques vão para o Americano IGIGI com foto da brasileira Flúvia Lacerda na página inicial do site e o britânico Curvety.

 

O próximo passo talvez seja o segmento das adolescentes plus size. Nas lojas da americana Torrid, as numerações a partir do 46 estão vendendo tão bem que 15 novas lojas para atender este público serão abertas só este mês, provando que  ainda há um extenso e lucrativo mercado em potencial a ser explorado.

Em suma, a mulher, independente do seu tamanho, quer se sentir sexy, jovial, contemporânea e acima de tudo valorizada pela roupa que veste.


 




Escrito por - written by André Monteiro às 21h41
[] [envie esta matéria send this article] []



 

Arquivos archives